Radiofrequência (RF) e Terapias Combinadas


Muitos procedimentos para revitalização da pele vêm sendo lançados, mas a radiofrequência (RF) ainda tem sido um padrão do tratamento estético com muitas indicações, devido à sua versatilidade, eficácia e segurança.


A RF age através da geração de calor no tecido da pele, que induz a produção de novas fibras de colágeno e melhora o aspecto da pele.


Há uma dúvida frequente de pacientes e profissionais sobre o uso da RF associada a outros procedimentos estéticos:


É possível fazer um planejamento de revitalização da pele através de terapias combinadas com a RF?


Sim. Estudos indicam que:


A presença de preenchedores faciais não aumenta o risco de efeitos térmicos indesejáveis com o tratamento de RF.


O tratamento com RF não tem efeito adverso observado sobre o resultado dos procedimentos de preenchimento facial.


O tratamento de RF resultou em alterações histológicas mensuráveis e estatisticamente significativas associadas aos vários materiais de preenchimento.


Por que usar a RF associada a outras terapias? Porque cada pessoa está sujeita a diversos tipos de situações “desequilibrantes”.


A orientação profissional básica (e também ética) deve ser a de esclarecer sobre a existência de padrões de beleza e que a autoestima não vai melhorar apenas por fazer algum procedimento estético e externo. Mas é preciso respeitar a noção estética e concepção de vida de cada indivíduo. Então uma anamnese inicial detalhada pode revelar a necessidade de fazer um planejamento estético com terapias combinadas, geralmente com sessões de RF antes e/ou após procedimentos com aplicação de “botox”, preenchedores faciais, dentre outros, indicados pela avaliação da pele e perfil de cada pessoa.


Compreender e respeitar a pele, bem como os valores de cada pessoa, faz parte de um planejamento mais integral e da atuação na Saúde/Estética Integrativa.