Corpo & Pandemia


É possível perceber nosso corpo de várias formas, por meio do que sentimos, de situações, comparando-o com os modelos de corpo ideal ou se desvencilhando deles para vivenciar, explorar, descobrir, construir e refletir sobre o mundo. E muitas pessoas, nesse momento de pandemia e isolamento social, estão optando por se reinventar.


Cabelos estão sendo raspados e/ou deixados de serem tingidos. Novas alternativas de cuidados, aproveitando os recursos que se tem em casa: chás, grãos esfoliantes, máscaras hidratantes com frutas, óleos vegetais... E essa nova experiência, orgânica, vem renovando os ânimos e construindo um novo modelo de beleza, de saúde e de bem-estar, inspirando milhares de outras pessoas que também passam por essa nova percepção de si mesmx.


Não somos apenas corpos sujeitos às leis vigentes da estética; temos a liberdade de criar movimentos expressivos que manifestam modos de existir. Somos corpos que desejamos e decidimos o que vamos ou não realizar. Vivemos a construção da nossa própria vida como um ser que modifica o meio e é modificado por ele.


Nosso corpo também é um veículo de comunicação o qual expressa diferentes formas de sentir e pensar, criando maneiras inovadoras de se viver. Aproveitemos o convite desse momento atual para nos acolhermos e gerar um novo olhar sobre nós mesmos.



Referência: Corpo e Envelhecimento: os Sinais Estéticos e Funcionais na Meia-Idade. Assunção & Caminha, editora Appris, fevereiro, 2021.


#novonormalpospandemia #abelezaestamudando #belezaressignificada #belezanatural #esteticaminimalista #corpoeenvelhecimento #corpoepandemia