top of page

A busca pela paz interna


sensação de bem-estar e a busca pela paz interna

Hoje acordei tão bem, calma, zen, depois de um dia de aniversário feliz.


Pensei: “Poderia prolongar essa sensação pro resto do meu novo ciclo....”.


Alguém poderia me sugerir: “Peça a um médico te prescrever um suplemento ou tome um floral, mantenha uma disciplina na sua prática do Yoga...”.


Poderia ter muitas sugestões para manter esse estado de espírito por mais tempo.


Mas é aí que está a questão: quanto mais tentamos manter uma sensação por mais tempo, mais tensos, ansiosos e temerosos nos sentimos.


Assim é a felicidade: um estado de ser inconstante, mutável, maleável, com o qual somos capazes de nos observar no presente sem controle ou julgamento, captando - no momento - toda a sabedoria da nossa energia.


Como diz um Mestre querido: “Nunca há erros com a energia. Isso não pode ocorrer. A mente pode criar acidentes e tragédias, mas a sua energia não.”


Quando eu pensei sobre as possíveis sugestões de manter a sensação boa que estou sentindo por mais tempo, automaticamente captei as crenças atuais do senso comum.


O mundo de hoje, com o avanço da tecnologia, com o tempo de atenção das pessoas cada vez mais curto e a tolerância também, não há espaço para contrariedades. Quando ocorre algo que não agrada, a tendência das pessoas é deletar, bloquear, cancelar. Não suportam mais sentir frustração ou compartilhar um pensamento divergente com o outro.


A indústria farmacêutica aproveita essa onda de tentativa de manutenção ou a busca pela “paz interna” para sugerir medicamentos e suplementos para regulação bioquímica. Não sou contra no todo. Mas há casos e casos que devem ser cautelosamente avaliados.


Respiro fundo em mim, reconheço os pensamentos sugestivos, externos, que vêm a minha mente e percebo: o bem-estar mais prolongado que posso me dar é me aceitar como estou no momento. E, quando um desafio do cotidiano (que é muito comum de acontecer) surgir, que eu me lembre de quem eu sou, das minhas prioridades e limites.


A verdadeira paz interna é uma dança que vamos ajustando o ritmo, conforme vivemos neste mundo. Mas a playlist quem escolhe somos nós mesmos.


Comments


bottom of page