Óleo de Coco é Comedogênico?


Cienciometria ou Webmetria?


Apesar de a estética ser uma área que está em constante inovação, ainda é corriqueiro ações de profissionais desta área baseadas no senso comum e não em bases científicas comprovadas. Contudo, na estética, assim como em outras áreas, a produção de conhecimento de forma científica é fundamental para a comprovação da eficácia de novas técnicas.


A "cienciometria" permite avaliar quantitativamente a produção científica em determinada área do conhecimento e extrair informações para se conhecer as principais tendências e o desenvolvimento científico da área estudada. Já a "webmetria" permite quantificar o acesso e disseminação de determinados assuntos na rede web como meio de avaliar o fluxo informacional existente.


Com base na cienciometria, trabalhos científicos mais recentes que utilizaram o óleo de coco em suas pesquisas relacionadas à estética e cosmética concluíram:


🔸Óleos vegetais 100% puros não são óleos comedogênicos. Devido a sua pureza, aliada aos seus componentes, eles são absorvidos pela pele sem entupir os poros.


🔸O ácido láurico (AL), o principal componente do óleo de coco, mostrou-se efetivo contra bactérias Gram-positivas, como o Corynebacterium acnes, presente na flora cutânea. Recentemente, foi mostrado que o AL apresentou elevada atividade contra o P. acnes, tanto in vitro como em modelo animal de acne inflamatória. Esses resultados indicam o potencial do AL como alternativa para o tratamento da acne vulgaris.


🔸O óleo vegetal de coco é capaz de reduzir a perda de proteína em cabelos danificados ou não quando empregado antes ou depois da lavagem. Se o cabelo é tingido, o óleo de coco impedirá igualmente a perda dos pigmentos que entraram dentro dos fios, retardando a descoloração com as lavagens.

Vivemos na era da sociedade digital, na qual a informação circula de forma muito rápida na rede, e a produção científica nem sempre acompanha a velocidade desta circulação. Por isso, antes de concordar e repassar uma informação, comprove sua veracidade fazendo uma pesquisa sobre o assunto em sites científicos e confiáveis. E isso não se relaciona apenas à estética, mas, claro, a todas as áreas.


Algumas referências:


1. Rele AS et al. Effect of mineral oil, sunflower oil, and coconut oil on prevention of hair damage. J Cosmet Sci. 2003 Mar-Apr;54(2):175-92. http://journal.scconline.org/pdf/cc2003/cc054n02/p00175-p00192.pdf


2. Ruetsch SB et al. Secondary ion mass spectrometric investigation of penetration of coconut and mineral oils into human hair fibers: relevance to hair damage. J Cosmet Sci. 2001 MayJun;52(3):169-84. http://journal.scconline.org/pdf/cc2001/cc052n03/p00169-p00184.pdf


3. SILVA, Elton Luiz. Desenvolvimento de nanopartículas lipídicas sólidas contendo ácido retinóico e ácido láurico para o tratamento tópico da acne vulgaris. 2011.


#embasamentocientifico #oleodecoco#cienciometria #webmetria #naoaofakenews #beneficiosdooleodecoco

Criação de Aline Bitencourt