Estética Holística e Gestalt

Como a Gestalt se relaciona com a Estética?

A Estética ganha uma dimensão gigantesca no mundo contemporâneo e está presente em várias áreas de forma direta ou indireta. 

Os conceitos atuais sobre Estética e os impactos que isso gera refletem no comportamento das pessoas, podendo ser traduzidos em ansiedade, baixa autoestima, afetando a saúde mental e as relações interpessoais. 

A Estética pode ser definida como o julgamento e a percepção do que é considerado beleza, a produção das emoções pelos fenômenos estéticos. O aspecto emocional sempre esteve presente ao retratar a estética, desde a Antiguidade, onde se relacionava com o sublime e um dom divino.

Atualmente, os conceitos de beleza ressaltam a aparência, o culto ao físico, buscando seguir um padrão de beleza estabelecido e reforçado pela mídia, que é o principal meio de propagação de crenças e valores. Mas ainda assim o emocional está presente, mesmo exaltando a aparência. 

E como é possível identifica-lo neste panorama atual?

Muitas pessoas e profissionais da área da Estética abordam apenas a melhora na autoestima ao associar a beleza física com o emocional. Em parte, os cuidados estéticos podem gerar um impacto na autoavaliação e, consequentemente, um olhar mais positivo em relação a si mesmo e ao mundo. Mas  provavelmente o desejo de mudar a aparência pode estar relacionado a algo que está por trás disso. 

Como na Gestalt, através da Estética Integrativa, é possível tornar explícito o que está implícito. 

E o que está implícito?

A tendência atual é a busca pelo corpo ideal, padronizado, como símbolo de status, reconhecimento afetivo e profissional. E neste modelo ideal está também a ilusão de se chegar a algum lugar que ainda não está no agora. A sensação que gera na busca por essa Estética atual é de incompletude, o momento melhor não é o Agora. A ideia é valorizar o passado, buscando uma idade que não se tem mais (a crença da beleza associada à juventude) e buscar com esforço o futuro, se submetendo a vários tipos de procedimentos estéticos a fim de alcançar um modelo ideal.

E o que é ideal? 

É o que existe na imaginação, no mundo emocional também. Não é de fato concreto. A beleza ideal atualmente é alimentada pelo mercado da Estética, que lança frequentemente novas técnicas, tecnologias e produtos. E reforça a crença da incompletude; a ideia é que sempre há algo melhor por vir, de fora. É um ciclo vicioso que pode levar a sérios problemas, afetando a saúde mental e emocional.

Qual é a proposta da Estética Integrativa?

A Estética Integrativa é uma estética holística

Assim como a Gestalt:
  • Busca compreender o todo.
As reações biológicas são o resultado das interações orgânicas e emocionais. O corpo não é apenas uma máquina composta por células. 

A pele é o maior órgão do corpo no qual sofre as ações relacionadas à estética. Realiza a função de defesa, proteção, trocas, regulação. E nada disso é absolutamente biológico. Defesa, proteção, troca, regulação e "equilíbrio".  Estão contidos energia, emoção, conceitos e crenças.

  • Expõe o que está implícito.
O que está por trás da busca constante pela beleza? A falta de aceitação do que está sendo apresentado no Agora. Melhorar-se é um incentivo à evolução, à autotransformação. Mas essa mudança interna pode ser leve, apreciando cada fase, cada passo do caminho. O destino é o mesmo, portanto pra que andar com bagagens tão pesadas? As bagagens são as crenças, as concepções importadas ao longo da vida através de familiares, cultura e sociedade em geral. Acessar a Essência enquanto se cuida por fora pode fazer com que determinadas exigências sejam liberadas. E, assim, o que antes era uma busca incessante, passa a ser uma forma de expressão leve e prazerosa. 

  • Retrata a beleza como uma característica individual, única. 
Se o indivíduo se vê como único, não necessita buscar constantemente referências externas para se adequar. Não almeja ter a aparência do outro. Ele compreende que pode se bastar e é o responsável pela sua vida. 

  • Está no presente.
A Estética Integrativa vive o presente. Não quer resgatar uma idade que não se tem mais (não reforça a crença da juventude). A luminosidade e o viço são resultados de um organismo equilibrado. Como a referência é si mesmo, não busca alcançar uma determinada aparência ou maneira de ser. Tudo já está em si e é expresso, compartilhado ao externo, através de cuidados estéticos. 

A beleza que se vê além do espelho. 

Como é possível trazer essa consciência para a expressão genuína da própria beleza? 

Palestra sobre Estética Integrativa e Gestalt
 que apresentei em um grupo de formação em
Gestalt terapia sob supervisão da Drª Lenise Cajueiro,
Maceió/AL
O psicólogo é um dos principais agentes para transformar esse panorama atual da beleza, tão focado no externo, mas que reflete a inadequação de um ser que tenta se afastar de sua essência para ser o que não é verdadeiramente. Mudar é se transformar. Mas a essência continua intacta, conduzindo a metamorfose. Se assim não for feito, o indivíduo cai no desespero, perdido de si mesmo, apenas vendo o que os olhos mostram a ele. Não consegue se interiorizar. E se ver é também se expandir


Entre em contato e experimente a Estética Integrativa!




Contato

Nome

E-mail *

Mensagem *