Auriculoterapia

É um método terapêutico e analgésico por estímulos no pavilhão auricular (orelha), que é considerado um microssistema do corpo. Isso significa que a orelha é a parte que representa o todo (o corpo).

Há vários enfoques da Auriculoterapia: a Medicina Tradicional Chinesa, a Escola Francesa e a Escola Brasileira, que é a junção as duas primeiras.

A Auriculoterapia é uma ciência milenar, com práticas remotas da era a.C.. Depois da fundação da nova China, o sistema de saúde neste país ganhou um amplo e rápido desenvolvimento, que serviu de base para que no final da década de 80 e princípios de 90, ficasse instituída a Auriculoterapia como uma especialidade dentro do estudo da Acupuntura. Atualmente a Auriculoterapia constitui uma especialidade universitária. O estudo dos mecanismos fisiológicos pelos quais atua não somente foi incorporado às unidades assistenciais dedicadas à medicina tradicional, mas, além disso, foi motivo de estudos por hospitais da medicina ocidental, trabalhando-se em temáticas como anatomia, fisiologia, o sistema de canais e colaterais, o sistema nervoso, os fluídos corporais para os diversos profissionais de saúde. 

A fisiologia dos canais e colaterais está baseada no movimento do sangue (Xue) e da energia (Qi), na manutenção do equilíbrio Yin e Yang, no fortalecimento da energia antipatogênica e na expulsão da patogênica, mantendo desta forma a saúde.

Na presença de um estado patológico, a energia perversa penetra no corpo em certo canal colateral ou órgão produzindo reflexo sintomático da enfermidade. Por isso através da punção dos pontos de auriculoterapia e outros, se tenta desobstruir os canais e colaterais, regulando o vazio e a plenitude, restabelecendo a atividade funcional de cada parte do corpo. Sob este princípio é realizado o tratamento das enfermidades na Medicina Tradicional Chinesa.

A rica inervação do pavilhão auricular tem grande peso na obtenção de resultados terapêuticos através do uso dos pontos auriculares. Cada mudança patológica que se produza em um órgão interno é refletida no ponto correspondente do pavilhão auricular.

A Auriculoterapia pode ser realizada através de diferentes tipos de estímulo: agulhas, esferas metálicas, sementes, massagens.

Contraindicações 

- Mulheres com menos de 5 meses de gravidez com história de abortamento espontâneo. Do 5º ao 9º mês não podem ser estimulados determinados pontos auriculares correspondentes ao ovário, útero, abdômen, dentre outros.
- Pacientes desnutridos com baixa resistência física, debilitados ou hipotensos deve-se tomar cuidados para não usar muitos pontos auriculares nem fazer estímulos fortes, pois podem causar efeitos colaterais indesejáveis.
- Inflamação ou infecção na orelha.

A Auriculoterapia não consiste apenas na colocação de pontos na orelha para tratar uma determinada patologia. É uma terapia ampla que também visa equilibrar o emocional,  que está diretamente relacionado à manifestação de doenças e distúrbios físicos. Na área da Estética, a Auriculoterapia é um excelente aliado, trazendo mais equilíbrio e bem-estar. Por exemplo, se alguém tem olheiras causadas principalmente por dormir mal, a Auriculoterapia auxiliará para uma melhor qualidade do sono. Terapias estéticas e uso da cosmetologia podem também ajudar a atenuar as olheiras, mas são apenas paliativos se o mal dormir persiste. Este é apenas um exemplo dos inúmeros benefícios da Auriculoterapia usada separadamente ou em conjunto com outras áreas da saúde, estética e bem-estar.

É realizada uma anamnese e a análise do pavilhão auricular para o diagnóstico dos pontos a serem reequilibrados. A aplicação é simples, porém criteriosa. O tratamento é feito por um determinado número de sessões geralmente uma vez por semana.


(Fonte editada de "Auriculoterapia e Auriculopuntura" - Center Fisio - IMES: Instituto Mineiro de Estudos Sistêmicos)

Entre em contato e faça sua avaliação!




Contato

Nome

E-mail *

Mensagem *