Jato de Plasma

Na Física, o plasma é considerado o 4º estado da matéria ao lado de sólidos, líquidos e gases, mas com um alto teor de energia (Tiede et al., 2014). A ionização de gases leva à emissão de plasma. O termo "plasma" foi definido assim pelo fato de sua estrutura multicomponente de gases ionizáveis se assemelhar ao plasma sanguíneo. Na natureza, encontramos o plasma no relâmpago, na aurora boreal, nas estrelas. Enfim, é um estado presente desde o início da formação  do Universo, que é 99,9% constituído de plasma (Fridman et al., 2005).

Atualmente estão sendo desenvolvidos diversos tipos de aparelhos de formação de plasma ou de arco elétrico (mecanismo de exérese plasmática ou eletrocarbonização) para fins terapêuticos e estéticos. É importante estar atento aos vários equipamentos que prometem este tipo de tratamento, se os mesmos são aprovados pela ANVISA. Da mesma forma, é fundamental se certificar dos profissionais que estão habilitados a fazer procedimentos com estes aparelhos.

Efeitos terapêuticos e estéticos

  • Bactericida
  • Reparador tecidual (cicatrização de feridas crônicas)
  • Anti-inflamatório (ativação das células de defesa)
  • Coagulação sanguínea 
  • Melhora a permeabilidade e  hidrofilicidade ("molhabilidade") da pele, facilitando a permeação de ativos (jato de plasma aliado à Cosmetologia)
  • Estimulação da microcirculação e proliferação celular
  • Utilização da técnica não invasiva de Regeneração Plasmática da Pele (Plasmatic Skin Regeneration - PSR), que visa o rejuvenescimento progressivo da pele e tratamento de rugas com nova produção de colágeno, modificação das fibras elásticas e reestruturação da derme. 

Indicações

  • Tratamento de feridas e dermatites (reparo tecidual)
  • Tratamento de queratoses e papilomas (verrugas) - o profissional deve ter conhecimento da origem dessas lesões benignas, fazendo o diagnóstico diferencial de uma lesão maligna, que não deve ser tratada dessa forma.
  • Rejuvenescimento: atenuação de rugas, flacidez facial e de pálpebra (blefaroflacidez)
  • Tratamento de manchas senis e efélides (sardas, melanoses solares benignas)
  • Remoção de pigmentos exógenos (micropigmentação, tatuagem)
  • Remoção de xantelasma (placas de cor amarelada, localizada ao redor dor olhos)
  • Remoção de cicatrizes de acne e acnes ativas
  • Tratamento de estrias

É importante seguir todas as orientações pré e pós-procedimento a fim de evitar inflamação e infecção. É fundamental o uso de dermocosméticos após jato de plasma/eletrocarbonização com o objetivo antisséptico, calmante, cicatrizador e regenerador.

Contraindicações

  • Flacidez avançada (indicado para cirurgia plástica)
  • Melasma (efeito não eficaz, com risco de recidivas)
  • Carcinoma basocelular (lesões malignas)
  • Doenças graves (infecção, feridas graves, doença autoimune, imunossupressão etc)
  • Diabetes descontrolado ou insulino-dependente
  • Tendência à queloide (em casos de eletrocarbonização)
  • Gravidez
  • Herpes no local da aplicação
  • Uso de isotretinoína (Roacutan)
  • Uso de corticóides
  • Fototipos 5 e 6 (peles morena-escura a negra)
  • Alergia ao anestésico

O tratamento com jato de plasma/eletrocarbonização é um excelente recurso não invasivo, 
também combinado a outros tratamentos, como cosmetologia, microagulhamento, fototerapias.

Entre em contato e faça sua avaliação!

Contato

Nome

E-mail *

Mensagem *